quarta-feira, 19 de abril de 2017

aquarius


Passei assim de raspão só para avisar que o mais recente filme com a Sónia Braga e do Kleber Mendonça Filho, é obrigatório. 

sexta-feira, 17 de março de 2017

foi +/- o que eu fiz


Tem dias em que é mais de dream do que outros. Mas na maior parte do dias sou uma apaixonada pelo que faço - tanto na produção de eventos como no ensino universitário. Mas agora... que venha o fim-de-semana. ♥

tilt cerebral


O meu cérebro fez tilt faz algum tempo nisto das empresas de televisão por cabo. Dantes era a TV Cabo e a coisa ficava por aí. Depois, para os lados da margem Sul, havia uma outra que se chamava Cabovisão. Depois veio a ZON que entretanto passou a NOS e a PT que passou a MEO, ou seja, na minha cabeça arrumei que a TV Cabo passou a MEO. Mas há quem diga que não é bem assim. No meio houve uma Vodafone que se manteve Vodafone ao longo do tempo. Acontece que hoje vi uma tal de Nowo e pensei: «Outra?!!!». Mas não, a tal da margem Sul passou a Nowo. E só estou a referir-me à televisão por cabo... nada de operadoras móveis. Isso então... esqueçam. Tilt.  

quinta-feira, 16 de março de 2017

ligar mais vezes


Hoje em dia, com tanta rede social, deixámos de telefonar às nossas pessoas. Hoje acordei com vontade de ligar à minha família... que por ser tão grande, tem que ser distribuído por vários dias. 

quarta-feira, 15 de março de 2017

[pouco são, jorge] Nuno Lopes


Queria escrever bem sobre o novo filme do Marco Martins com o [brilhante] Nuno Lopes... mas a verdade é que, apesar do [fabuloso] Nuno Lopes, este São Jorge é assim a atirar para o vazio. As imagens, os sons e os ambientes são bons... mas não chegam, apesar do [maravilhoso] Nuno Lopes. A história é muito superficial, tratada de uma forma preguiçosa. O [incrível] Nuno Lopes não chega a ser boxeur, nem cobrador de dívidas, nem pai, nem marido. O [insubstituível] Nuno Lopes é assim uma personagem passante, cabisbaixa, tensa e sisuda. Ele que sempre me emociona e arrebata [acabou de o fazer em A Noite da Iguana], desta vez deixou-me assim, em lume brando. Quase com vontade de o chamar e, afagando-lhe o cabelo, dizer-lhe "Não mereces Nuno, não mereces que usem e abusem do teu talento". Ao longo do filme estive sempre a achar «agora é que vai ser»... mas não foi. A participação do [soberbo] Nuno Lopes não é o suficiente para transformar um filme vazio de argumento em algo inesquecível. Sem história não há [sensacional] Nuno Lopes que o salve... e este São Jorge não foi salvo. Pena de ver o meu actor preferido não brilhar como sabe e merece... Pena, muita pena.

{e os diálogos...? fracos, muito fracos!}